16 de set de 2008

SEXUALIDADE CONSCIENTE:ABERTAS INSCRIÇÕES DE LETRAS DE FUNK

Sexualidade consciente: abertas inscrições de letras de funk

Para trabalhar questões relativas a educação sexual e saúde, na rede estadual de ensino, a Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro lançou Verdade ou Conseqüência? – Programa de Sexualidade Consciente, que abrange três grandes ações, envolvendo música, debates, troca de experiências e capacitação de professores.
Em parceria com a equipe de som Furacão 2000, estão abertas inscrições para o projeto Música e Sexualidade, que escolherá letras de funk, compostas por alunos do Ensino Médio, a partir da temática sexualidade, para serem musicadas e apresentadas em show. Os alunos podem conhecer o regulamento e inscrever suas composições, até 31 de outubro de 2008, no site www.verdade.rj.gov.br que reúne informações sobre todo o programa de sexualidade da secretaria. A Furacão 2000 também disponibilizará um link para a seleção no site www.furacao2000.com.br.
Segundo a secretária de Educação, Tereza Porto, o objetivo é conhecer o que os jovens sabem e pensam sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST), Aids, uso de preservativos e gravidez.
– O funk é a linguagem dos jovens. Queremos nos aproximar de seu universo e consideramos que este é um bom caminho – comentou Tereza, que foi conhecer de perto um baile funk, no dia 23 de agosto, na Kabana do Catonho, em Jacarepaguá.
A escolha das melhores composições caberá a uma Comissão Julgadora formada por profissionais indicados pela Secretaria de Educação e por representantes da equipe de som Furacão 2000. Serão selecionadas as 66 melhores letras musicais, de acordo com critérios de criatividade, originalidade e adequação ao tema. As letras selecionadas vão ganhar a batida do funk pela Furacão 2000. Os alunos apresentarão suas músicas durante o mês de dezembro, em seis shows, cada um reunindo onze composições.
Verdade ou Conseqüência? – Programa de Sexualidade Consciente prevê, ainda, a capacitação e sensibilização, em ambiente virtual, de até três mil professores da rede pública estadual, em temas como gênero, sexualidade e saúde, e a realização de uma série de jornadas nas escolas – a primeira ocorreu em 30/08, em uma escola de Bangu. As jornadas realizam-se durante um dia inteiro e incluem palestras, debates e apresentação de alunos, entre outras atividades, envolvendo a comunidade escolar. O objetivo é recolher, nas escolas, o que pensam os jovens, seus anseios e questões. Esses encontros são restritos aos integrantes das unidades escolares e aos dinamizadores.
– Serão encontros de muito trabalho – explica Tereza Porto.

Nenhum comentário: